Quais são os principais erros cometidos em liderança e gestão de pessoas nas PME’s e em Empresas Familiares?

Começar uma atividade empresarial exige muita dedicação e persistência. O investimento varia muito, pois, vai depender do tipo de negócio e ramo de atuação. Normalmente, as pequenas empresas começam com recursos escassos, provenientes de empréstimos de terceiros ou economias feitas a sacrifício pelos empresários. Com recursos escassos tendem a não investir pesado no administrativo, na liderança e gestão de pessoas, pois compreendem não ser um aspecto tão relevante para o início dos negócios.

Microempresas e empresas de pequeno porte no começo de suas atividades não costumam ter um departamento de pessoal bem estruturado para fazer suas contratações.

Isso faz com que corram o risco de cometer alguns erros, a falta de experiência em gestão de pessoas que dificulta a identificação de melhor perfil para atender as necessidades da nova empresa.

Esse é um fato bastante comum, que na maioria das vezes, vai se corrigido com o tempo, conforme a empresa vai se estruturando e ganhando mercado.

Veja abaixo alguns sérios erros cometidos pela ausência de liderança e gestão de pessoas nas PME’s e em Empresas Familiares?

  1. Contratar ou manter colaboradores por afinidade
  2. Dar privilégios a parentes e amigos
  3. Chamar a atenção do funcionário na frente de todo mundo (inclusive de clientes)
  4. Fazer ameaças de punição
  5. Não valorizar adequadamente as competências
  6. Não treinar corretamente o novo funcionário

 

Eu fiz a listagem acima baseada em minha experiência profissional, já atuei em algumas pequenas empresas e presenciei muitas situações constrangedoras e bastante difíceis, com relação a comportamento e relação interpessoal de gestores e subordinados.

 

Informalidade na Comunicação

 

A grande parte das pequenas empresas tem sua estrutura composta, na maioria das vezes, por membros da família. Isso faz com que o relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho seja muito informal. É muito comum esposa discutir marido sobre problemas ou questões  domésticas que deveriam ser resolvidos em casa, e não na empresa ou pai mandar o filho calar a boca no meio do trabalho e por ai vai…

 

Embora saibamos que o ambiente empresarial deve ser encarado com profissionalismo, mesmo assim, situações como estas não seriam um problema tão agravante, desde que a empresa fosse constituída apenas por membros da família. A questão é que sempre tem alguém de fora, um funcionário contratado sem grau parentesco e ai que começam os problemas.

 

Sócios que agem sem profissionalismo, só restam aos demais colaboradores seguirem o exemplo, formalidade para quê? Se os donos agem de maneira inadequada não possuem moral para cobrar  modos adequados de seus funcionários.

 

Privilégios desiguais

 

Outra questão são os privilégios desiguais e injustos. A grande tendência das pequenas empresas como foi dito antes, realmente é contratar parentes e amigos, e ainda dar a eles privilégios que não se estendem aos demais colaboradores, e, pior ainda, sem nenhuma coerência.

Isso faz com que gere muitos conflitos atrapalhando o relacionamento, a comunicação e desenvolvimento dos processos de trabalho.

E como consequência os outros profissionais não familiares vão pedindo demissão. Ninguém tolera um ambiente sem regras e ainda com tratamento desigual sem padrões.

 

Tratar com desrespeito

 

Mas de todas as situações que já presenciei na minha vida profissional jamais me esquecerei de uma onde um gestor (que não citarei o nome, para preservá-lo) estava aos berros com um subordinado, ao ponto de perguntá-lo “se ele não tinha cabeça, pois gostava de trabalhar com pessoas que tenham cabeça, que pensem’’”. Um total absurdo, um abuso de poder, desrespeito, bullying, sei lá quantos outros nomes daria a agressão feita aquele funcionário.

Minha experiência nesta empresa fui muito curta, e não poderia ser diferente tendo em vista o exemplo que descrevi acima.

Penso, que situações assim existam diversas por ai a fora no mundo das pequenas empresas, que certamente já nascem condenadas ao fracasso. Pois minha experiência também já me mostrou, que empresas assim fecham as portas precocemente e também pudera, não é mesmo?

Gritar, agredir verbalmente um colaborador, chamar a atenção dele na frente dos demais funcionários e clientes, fazer piadinhas sobre a forma comportamental é algo que também acontece em pequenas empresas, infelizmente.

É outro erro muito grave ocasionado pela a falta de políticas de gestão, preparação profissional da liderança na empresa.

 

Fazer ameaças

 

Ameaça de punições é algo que já ouvi muito.

Em uma empresa que já atuei há algum tempo atrás, presenciei algumas situações em que foram ditas frases do tipo: “se você chegar atrasado da próxima vez te demitirei” (o que não seria incorreto se a conversa entre gestor e funcionário acontecesse entre portas fechadas, e não frente de outros da equipe); “ Ou você assina esta advertência ou te demito agora, o que você prefere?”.

 

Dentro de uma cultura empresarial problemática, com ausência de liderança e uma política séria de gestão de pessoas, não há como existir uma valorização correta das competências dos colaboradores, o que impera é a lei se está produzindo e não está incomodando está bom para ficar.

Mas ocorre muitas vezes é a supervalorização de pessoas “não tão competentes”. Parentes ou amigos dos donos são tratadas com maiores privilégios que os demais colaboradores.

 Não treinar

 

E, por último gostaria de listar o erro de não treinar corretamente o novo funcionário. Já vi muito empresas fazerem contratações, por vezes, por meio de uma avaliação equivocada das habilidades do colaborador. Em outras situações nem tanto, mas em ambas as situações elas não deram suporte ou treinamento ao novo funcionário.

Isso não é uma prática correta, faz com que o novo funcionário tenha dificuldade de entender as políticas, os procedimentos e o que pode e deve fazer.

Correndo grandes riscos de acontecerem atos falhos que poderão no futuro comprometerem a saúde financeira da empresa.

Conclusão

Erros assim ainda acontecem com bastante frequência, é uma pena, porque se não forem corrigidos a tempo, acabam gerando grandes problemas e comprometendo a sustentabilidade da empresa.

Administrar é uma arte. Gerir pessoas é um grande diferencial que colabora para o sucesso de uma empresa.

Investir em liderança e gestão de pessoas é processo que deve fazer parte desde o nascimento em todas as empresas.

Pesquisas que levaram a este artigo:

  • como liderar uma empresa de pequeno porte
  • gerenciamento de projetos nas pequenas empresas
  • liderança em emçresas familhar

6 comentários no post “Quais são os principais erros cometidos em liderança e gestão de pessoas nas PME’s e em Empresas Familiares?

  1. Ótimo post, parabéns pelo conteúdo!
    Liderança, gestão e cultura vão ser sempre os grandes segredos das empresas de sucesso!


    • Muito Obrigada pelo comentário!
      São estímulos como estes que nos dão sentindo em seguir enfrente nessa jornada de trabalho.
      Abraço.
      Sucesso!


  2. Ubiratan Macedo Disse:

    Ótima matéria, como pequeno empreendedor vejo como essa exposição vai ajudar muito na implantação de novas diretrizes para crescimento


  3. Alexandre Lucas Disse:

    Muto boa a matéria, parabéns!


Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão

Campos obrigatórios são marcados com *