10 Dicas para criar mudanças de hábitos financeiros e se libertar das dívidas

Ao ler o título deste artigo você deve estar se perguntando o que mudanças de hábitos tem a ver com finanças?

O que significa mudanças de hábitos? E como elas podem de fato salvar minhas finanças?

Bom, escrevi este artigo porque sei que são milhares de pessoas todos os dias que lutam para sobreviver, tentando esticar o seu salário para  pagar o que é preciso e, ainda, fazer sobrar.

É preciso existir um equilíbrio financeiro. Entretanto, vivemos em uma sociedade altamente consumista,  por esta razão, é urgente, que todos aprendam a administrar bem o seu dinheiro.

Mas para administrar bem o dinheiro, é preciso existir um entendimento do que significa a palavra dinheiro.

Para muitos o dinheiro está diretamente ligado ao sucesso, com riqueza e com trabalho como contraprestação de um serviço realizado, logo, quanto mais eu trabalho mais dinheiro tenho.

Mas o que se vê todos os dias, são muitas pessoas que trabalham e trabalham e não conseguem viver uma vida financeira bem-sucedida, e a explicação para isso é simples, está relacionada na forma de como entendemos e lidamos com o nosso dinheiro.

Muito mais além, do que apenas saber administrar e cuidar do quanto se gasta, tem muita relação com hábitos criados por nós através de toda a história de nossa vida.

Também tem relação da maneira de como entendemos o significado de sucesso e riqueza.

Entendendo o significado de Sucesso e Riqueza

Sucesso significa consequência positiva de algum acontecimento favorável ou resultado bem-sucedido de determinação ação. É o êxito que conseguimos em nossas vida!

Com esta definição concluímos que o sucesso é tudo aquilo que alcançamos de forma feliz.

Para muitos o sucesso só é conseguido através de muito dinheiro, para poder usufruir de bens materiais, como a compra de um carro, de uma casa, de roupas, viagens etc.

Riqueza é a consequência de abundância de recursos financeiros, é a qualidade de ser rico de possuir posses e grande número de coisas de valor.

Ao entender estes conceitos percebemos que a maioria das pessoas passa a vida toda em busca de riqueza e sucesso que só podem ser conseguidos através do dinheiro.

É importante compreender que o dinheiro é uma ferramenta, que se usada de eficientemente pode sim, atrair riqueza e sucesso, mas não é o fator fundamental para alcançar ambos.

O mais importante é destacar que o dinheiro, sucesso e riqueza sem qualidade de vida não valem nada.

Terão pouco valor ou nenhum se você não puder utilizá-los para momentos de bem-estar, com maior liberdade de tempo, com seus amigos, sua família, usufruindo de uma boa saúde física e mental.

Dinheiro é uma ferramenta.

Para viver uma situação de paz financeira precisamos sim de dinheiro, mas é importante entender que o dinheiro não é a chave de toda a felicidade.

Porque é apenas uma ferramenta que precisa ser bem gerida para que possamos usufruir daquilo que ele pode nos proporcionar.

A questão toda está relacionada com aquilo que aprendemos no decorrer de toda a nossa vida.

Aprendemos desde cedo que dinheiro não traz felicidade, criando um entendimento que para ser feliz devemos ser pobre durante toda a vida.

E, se devemos ser pobre durante toda a vida, para que a necessidade de pensar no amanhã, vamos viver o hoje, o agora e amanhã, seja, o que Deus quiser!

Essa mentalidade é causadora de um grande mal que assola a vida de milhares de pessoas em todo o mundo, fazendo com que elas não tenham o desejo de aprender a administrar suas finanças pessoais de maneira inteligente focada no longo prazo.

Consequências da má gestão do dinheiro

Não saber administrar bem o dinheiro pode trazer consequências gravíssimas na vida de uma pessoa, como:

  • Problemas de relacionamento familiar
  • Falta de autoestima
  • Problemas de saúde
  • Endividamento
  • Ansiedade
  • Discussão
  • Medo 
  • Angústia
  • Divórcio
  • Desespero
  • Suicídios

Um grande número de pessoas não sabem usar o cartão de crédito, não sabem negociar com seus credores, e infelizmente, tornam-se escravas do próprio trabalho. O que significa, que jamais poderão parar de trabalhar, pois possuem dívidas gigantescas para pagar, e dificilmente, conseguirão se livrar delas. 

É preciso entender que tais problemas são originados pela percepção que temos do dinheiro e, ao valor que atribuímos a ele.

Se damos pouco valor, por acreditar que seremos sempre pobres, o dinheiro para nós sempre estará relacionado à escassez, algo de pouca importância para ser administrado focando o longo prazo.

Eu já vivi uma fase na minha vida em que ganhava um bom salário, tinha liberdade de sair para onde e na hora que quisesse, comprava o que bem entendesse, o dinheiro não me faltava.

Não tinha controle algum, acontece que um tempo depois eu saí do emprego em que trabalhava e me vi em uma situação difícil, sem conseguir manter o padrão de vida que estava acostumada a levar. 

Sem reservas financeiras, tive que reaprender a administrar o meu dinheiro, isso me fez enxergar minhas finanças pessoais de uma nova maneira.

Comecei a controlar meus gastos, anotando item a item do que gastava, todos os dias. Percebi que esta tarefa era muito entediante para mim, me deixava decepcionada, mas por outro lado, me fazia refletir do porquê quando tive a oportunidade de ganhar bem  não soube investir bem o meu dinheiro.

Leia também: Qual a Importância de Controlar na Ponta do Lápis suas Finanças Pessoais?

 Administrar bem as finanças é o começo para mudanças de hábitos

Quando tentamos administrar as finanças e compreender o seu real significado, nos desmotivamos, porque percebemos que o dinheiro é pouco e, então, logo desistimos de continuar a controlar nossos gastos, porque tal tarefa nos desestimula e muitas vezes nos entristece.

Entretanto, se você buscar a identificar os seus hábitos irá perceber que o erro não está em quanto você ganha e sim no quê você gasta o seu dinheiro.

Às vezes, isso causa uma angústia muito grande e faz com que não saibamos que caminho seguir e como solucionar tal situação.

Mas acredito que o caminho começa pela mudança de nossos hábitos.

Mudanças de Hábitos Financeiros

Passamos a vida inteira construindo hábitos.

Adquirimos comportamentos que aprendemos desde muito cedo e repetimos diariamente sem analisar o porquê fazemos, como fazemos, apenas fazemos.

Porque está impregnado em nosso inconsciente de tal forma que repetimos julgando serem benéficos para nossas vidas, mesmo que, algumas vezes os resultados venham nos provar que não são.

Para mudá-los , não é fácil. Não é em uma ação do dia para noite, leva tempo. São necessários muitos exercícios baseados no autoconhecimento.

Uma boa relação com o dinheiro nasce a partir do momento em você começa a se questionar sobre o que importa realmente para você, identificando quais são as suas prioridades e se está fazendo tudo que pode de verdade, para alcançar aquilo que deseja em sua vida.

Você vai perceber que as suas respostas definirão que VOCÊ somente VOCÊ é responsável pelas suas ações, e são suas ações que definem o resultado que está tendo em sua vida pessoal, profissional e financeira.

Você precisa deixar de enxergar o dinheiro como raiz de todo mal e passar a ter atitudes para mudar de vida.

Reconhecendo o que lhe inspira prosseguir e dar um passo para frente. É por tentativas, por experimentos, por erros e acertos, mas não deixando de viver cada dia a sua profundidade e beleza.

Assumindo a responsabilidade de cuidar de suas finanças pessoais com zelo, mantendo tudo organizado e em conformidade com seus hábitos.

Como gastar?

Gastar deve ser medido e calculado de acordo com suas prioridades, com aquilo que realmente importa a você e para aqueles que dependem de você.

Você tem que ser capaz de enxergar que seu futuro depende de seu presente, fazendo com que suas decisões sejam muito mais baseadas na racionalidade do que nas emoções.

Isso não quer dizer que você deva ser uma pessoa egoísta, insensível, dura ou avarenta, mas sim uma pessoa que age financeiramente percebendo os reflexos de seu futuro.

Para isso, você precisa criar um objetivo de vida em longo prazo.

Reflita sobre:

  • O que você quer ser daqui a 5 anos ou daqui a 10 anos?
  • Como deseja viver em sua velhice?
  • Como deseja que estejam vivendo aqueles que você ama, no futuro?
  • E como suas decisões de hoje influenciarão as vida deles amanhã?

Trazendo isso para prática, significa que você deve ter um objetivo em longo prazo e traçar metas que possam te levar a este objetivo.

E, neste caminho o ideal é que suas metas devem seguir uma ordem de prioridade.

O primeiro passo é se conhecer e depois agir, não é fácil, mas é possível.

10 Dicas para criar mudanças de hábitos financeiros e se libertar das dívidas

1 – Reconheça que você tem um problema

O primeiro passo é você reconhecer que suas finanças estão com problemas. Existe um grande número de pessoas que sabem que seu dinheiro é pouco e que não dá para fazer tudo o que gostaria com o que ganha, mas não se empenham em reconhecer que existe um problema na forma de como elas agem em relação ao seu dinheiro.

2 – Anote tudo o que gasta diariamente

Crie o hábito de anotar todos seus gastos diários. Faça uso de uma tabela, pode ser um Excel e coloque nela tudo o que você compra desde o cafezinho até as contas de energia elétrica, água, gás, etc.

3 – Crie metas ligadas ao seu controle financeiro

Aproveite esta tabela e crie metas ligadas ao seu controle financeiro. Decida o quento você quer ganhar, o quanto precisa parar de gastar, o que precisa economizar para criar reservas financeiras para realizar algum objetivo ou mesmo para fazer uma poupança ou aplicação financeira.

Cuidado para que sejam metas dentro de sua realidade de trabalho e que caibam dentro de seu orçamento.

4 – Converse sobre as finanças com sua família

Infelizmente, não fomos criados com uma boa base de educação financeira. E por isso, temos o hábito não conversar sobre dinheiro com nossa família. Muitos até conversam, mas para reclamar que ganham pouco ou que seu dinheiro não dá para fazer o que gostariam de fazer.

Tenha em mente que chamar a família para participar ativamente sobre as finanças domésticas não deve ser uma tarefa que cause desconforto ou desentendimentos. Deve ser com o objetivo de coletar ideias que ajudem na construção de um novo cenário econômico familiar, onde todos possam ser beneficiados com isso.

Então, destaque a importância das finanças, dos objetivos e das metas, deixando claro, que é para o bem da família, por isso, todos devem ajudar cooperando na redução e corte de gastos desnecessários.

5 – Arrume uma renda extra

Tente descobrir formas de complementar a renda. Se você possui alguma habilidade que possa gerar dinheiro extra. Por exemplo, vender algum tipo de comida, fazer consertos, arrumar algum serviço que possa realizar em suas horas vagas, ou mesmo, ter alguma atividade online como trabalhar com produtos de afiliados.

O importante é pensar e agir de forma inteligente e criativa para sair do vermelho e nesse caso, qualquer trabalho extra, que seja lícito pode ajudar.

6 – Pare de gastar com o que não é necessário

Se você possui hábitos de comprar futilidades ou coisas que não precisa tanto. Comece agora mesmo a cortar esse tipo de gasto do seu dia a dia.

Analise suas prioridades e se empenhe a comprar somente o que necessita de verdade.

7 – Anote suas dívidas atrasadas e tente negociar com seus credores

Assim que você estiver com sua planilha de gastos feita, aproveite para criar uma outra aba com todas as dívidas que estão em aberto.

E veja, quais são as possibilidades de você estar entrando em contato com seus credores para fazer uma renegociação.

Tenha cautela, só renegocie dívidas se você realmente tiver condições financeiras de pagar até o final.

8 – Faça Pesquisas antes de comprar

A partir de agora, crie o hábito de fazer pesquisas de preços antes de decidir por alguma compra. Também faça a análise das condições ofertadas e das vantagens oferecidas. As vezes, compramos levando em conta unicamente o preço, não avaliando a quantidade, qualidade e durabilidade do produto.

Outra questão importante, é que mesmo que você decida fazer um empréstimo para quitar alguma dívida ou adquirir algum bem, avalie também as condições, prazos de pagamentos e o juros cobrados. Não deixe passar nada, busque sempre as melhores oportunidades para melhor saúde do seu bolso.

9 – Faça uma poupança ou algum outro tipo de investimento

Mesmo estando endividado, tente ao máximo economizar seu dinheiro. Guarde uma reserva todos os meses e coloque na poupança ou faça algum outro tipo de investimento.

E, não pense que isso é difícil de fazer mesmo estando cheio de contas atrasadas, não é!

Quer ver? Considere cortar apenas o cafezinho que você toma todos os dias: R$ 4,00 por dia, se você toma nos cinco dias na semana, são R$ 20,00 por semana, por mês isso dá R$ 80,00.

Se você colocar este mesmo valor na poupança, que é o mais básico tipo de investimento, isso vai render 6% ao ano, em 12 meses  teria R$ 991,00. Parece pouco?mas, se você fizer isso por 10 anos, por exemplo, poderá acumular um valor de aproximadamente R$ 13.100,00.

O exemplo acima, você pode fazer com qualquer outro tipo de gasto desnecessário, por exemplo, com cigarro ou cerveja. Que são produtos nocivos que além de prejudicar sua saúde prejudicam o seu bolso.

Vamos pegar o exemplo, do cigarro. Vamos supor que você fume uma carteira por dia. Isso deve custar aproximadamente, R$ 6,00. Por semana, são R$ 42,00, no mês isso dá R$ 180,00.

Na poupança em um ano, renderia R$ 2.230,00, em 10 anos, seriam R$ 29.645,00. É bastante, não é mesmo?

10 – Tenha um teto de gastos

O grande segredo do controle financeiro, é a definição de um teto de gastos.

Sem abrir nenhuma exceção, por exemplo, você atingiu o teto de gasto estipulado no mês, e mesmo que esteja com vontade de comprar um item de R$2,00, não deve fazer, somente assim você terá pleno controle de suas finanças.

Com esse controle você conseguirá atingir uma estabilidade financeira, podendo aumentar o teto de gastos, mas sempre mantendo a mesma rigidez no controle.

Somente com mudanças de hábitos você será capaz de viver uma vida com mais tranquilidade e salvar suas finanças.

Se você quer sair, de vez, das dívidas, veja: 8 Passos para sair das Dívidas

5 Comentários

  1. Brisa

    Você acabou de mudar a minha vida. Obrigada!

    • Olá.
      Fico muito contente por isso.

      Muito obrigada por sua participação aqui no Blog.
      Atenciosamente,

      Elisângela Oliveira

  2. Brisa

    Você acabou de mudar a minha vida. Obrigada!

    • Olá.
      Fico muito contente por isso.

      Muito obrigada por sua participação aqui no Blog.
      Atenciosamente,

      Elisângela Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *