O atual Mercado de Franquias

 

Mesmo diante da crise que o Brasil vem enfrentando, o mercado de franquias vem conseguindo se manter em crescimento.O que comprova a maturidade de um segmento, que de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), em 2017 registrou um crescimento superior a 6% .

Esta razão é que muitos empreendedores veem no mercado de franquias como uma oportunidade de investimento, com crescimento e rápido retorno.

Sem contar que é uma opção para quem deseja abrir seu negócio ‘’com um pouco menos de esforço”, tendo o risco minimizado, isto ocorre, porque ao investir em uma franquia o franqueado recebe um modelo de negócio pronto, diminuindo um pouco o fardo de responsabilidades iniciais que se deve ter ao começar um negócio.

Embora o sistema de franchising seja uma opção rentável de investimento, isso não que dizer que se deve embarcar neste mercado sem as devidas precauções.

Pois o sucesso de um franqueado, entre diversos fatores, vai depender da dedicação que ele terá no trabalho da franquia.

Mas afinal, o que é uma franquia?

Franquia empresarial é um modelo de sociedade empresarial, regulada pela Lei  Federal nº 9855/94, onde um empresário (franqueador) cede ao outro empresário – investidor (franqueado), o direito de uso da marca ou patente de negócio, podendo ser distribuído de maneira exclusiva ou semi-exclusiva de produtos ou serviços.

Então, uma franquia é um modelo de negócio consolidado onde o franqueador vai em busca de novos investidores, que na verdade serão sócios responsáveis em replicar o modelo de negócio, ficando responsáveis pela gestão e execução de toda a estrutura que deve ser exatamente igual à que deu origem.

Quais a responsabilidades do franqueador?

O franqueador tem a responsabilidade de passar para o franqueado uma circular de oferta de franquia (COF), que é um documento (estabelecido pela lei nº 9855) que trata de todas as atividades que serão desenvolvidas entre franqueador e franqueado, como por exemplo:

As demonstrações financeiras e contábeis dos dois últimos anos da empresa franqueadora;

Detalhamento total da franquia e das atividades desempenhadas pelo franqueado;

O perfil ideal do franqueado, a escolaridade, experiências, etc.;

Investimentos no negócio, taxas, investimento nas instalações, estoques, entre outros.

A localidade que o franqueado poderá atuar.

O franqueador deve elaborar o COF com uma linguagem clara, para que toda a transação entre eles seja devidamente compreendida.

Quais os cuidados que o franqueado deve ter ao investir em uma franquia?

Antes de decidir pelo investimento em uma franquia, o empresário deve buscar conhecer bem o mercado de franchising.

Buscar toda a informação possível, para decidir a melhor opção de investimento. Uma alternativa para se munir de informações é através de pesquisas, consultorias e treinamentos.

Compre uma franquia sem risco

 

É importante questionar todos os detalhes do COF, pois nem sempre é elaborado com uma linguagem clara e objetiva.

Muitas vezes, o franqueador deixa pontos, mal explicados ou até mesmo com linguagem difícil de ser compreendido por alguém que não é do ramo do direito.

Buscar a ajuda especializada torna-se fundamental.

Conclusão

Vale à pena conhecer bem o mercado antes de abrir uma nova franquia, faça pesquisas e análises para escolher a melhor opção de investimento, questione todos os custos, avalie sua rentabilidade, converse com outros franqueados, e vá atrás de processos como boa infraestrutura e organização, para que seu negócio possa ser sucesso de vendas.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *