Como Gerenciar o Setor de Recursos Humanos em Pequenas Empresas

Neste artigo, você vai conhecer um pouco sobre a origem do Setor de Recursos Humanos, sua importância, bem como, boas práticas para fazer o correto gerenciamento na sua empresa.

Um bom chefe faz com que homens comuns façam coisas incomuns.

Peter Drucker

Um pouco da História do Setor de Recursos Humanos.

Você sabia que o termo “Administração de Recursos Humanos” passou a ser utilizado em meados da década de 1960, substituindo a então chamada “Seção de Pessoal” que tinha como responsabilidade controlar o registro e o pagamento de salário, entretanto, não cuidava das pessoas?

Sim, isto porque, as pessoas eram consideradas apenas como recursos produtivos, que deveriam ser controladas e agir de acordo com os objetivos impostos pelas empresas.

A relação entre empresa e funcionários sempre foram conflitantes…

Devido ao grande avanço industrial do século XVIII, não foi possível prever como seguiriam as relações sociais entre empresa e funcionários. Assim, as intenções de ambas as partes sempre foram divergentes; a empresa concentrava esforços na produção com objetivo de lucrar, sem se preocupar muito com as motivações individuais de seus funcionários; já as pessoas tinham a convicção de que eram exploradas pelos ‘patrões’, mas como precisavam de recursos para sobreviver se sujeitavam muito contrariamente as condições estabelecidas no acordo de trabalho.

Consequentemente, estas relações geravam grandes conflitos de interesses, era necessário que houvesse um intermediador. Então criado um órgão empresarial denominado de “Relações Industriais”, responsável por transmitir as informações de um para o outro, de maneira que neutralizasse os conflitos.

Mais tarde, em meados da década de 1950, as ‘Relações Industriais’ passou a ser chamada de Administração de Pessoal, cuidando não apenas de reduzir os conflitos, mas, de gerenciar todas as questões burocráticas de acordo com a legislação trabalhista recentemente criada.

E, a partir de 1960, devido ao grande crescimento dos mercados e os novos desafios enfrentados pelas empresas, houve uma remodelagem no conceito Administração de Pessoal. As pessoas passaram a ser consideradas recursos vivos e inteligentes muito importantes para as estratégias empresariais. Daí nasceu o termo Recursos Humanos, que tem como objetivos:

  • Recrutamento e seleção
  • Treinamentos de capacitação
  • Comunicar a importância da missão, visão e valores da empresa
  • Estimular a motivação e engajamento
  • Estimular o alcance dos resultados
  • Demitir quando necessário

O termo ‘recursos humanos’ vem sendo substituído pelo termo ‘gestão de pessoas’.

O conceito de gestão de pessoas é mais moderno e tem como missão capacitar talentos e retê-los, já que as competências adquiridas são fundamentais para o alcance dos resultados da administração.

A gestão de pessoas preocupa-se não somente, com processos de contratação de mão de obra, questões sindicais e trabalhistas e outras questões burocráticas, mas principalmente, com o desenvolvimento, capacitação e com as habilidades dos funcionários.

Seu objetivo é atender os anseios tanto de novos colaboradores, quanto dos antigos; na busca por maior eficiência e eficácia, de modo que haja um equilíbrio entre a missão, visão e valores da empresa.

Na prática, a gestão de pessoas busca, capacitar, ajudando o funcionário a descobrir novas habilidades, desenvolver competências, auxiliando nas dificuldades e apontando os possíveis caminhos a serem trilhados por ele para atingir seus objetivos pessoais/profissionais alinhados à estratégia da empresa.

A gestão de pessoas atua como representante intermediadora/parceira entre a empresa versus funcionário.

Embora o termo recursos humanos não seja mais tão utilizado nas grandes organizações, em pequenas empresas ele ainda é bem predominante.

E, é nas pequenas empresas em que existe uma grande carência de estratégias de um bom gerenciamento nesta área, isso ocorre porque muitas vezes o responsável por todo processo de contratação e gerenciamento é o próprio empresário, que utiliza de seu feeling para decidir o melhor candidato à vaga ofertada.

É importante ressaltar…

O custo com pessoal pode representar entre 20% a 30% do faturamento (dependendo do setor e número de funcionários), fato que pode comprometer muito os resultados de uma pequena empresa. Além disso, errar na contratação pode trazer vários prejuízos, entre os quais:

  • Alto índice de rotatividade (turnover);
  • Aumentos dos custos de recrutamento, treinamento e desligamentos;
  • Perda da qualidade de vida no trabalho devido à falta de motivação;
  • Colaboradores insatisfeitos;
  • Diminuição da qualidade na produção ou prestação de serviços, entre outros.

Mas como gerenciar melhor o setor de Recursos Humanos?

Por mais que a rotina administrativa seja corrida, é necessário do empreendedor dar atenção a diversos aspectos sobre seu departamento de RH, na sua equipe de trabalho e analisar o quanto isso pode estar refletindo em seus resultados.

Muitas vezes, pequenos desajustes ao passar do tempo podem trazer grandes dores de cabeça, por isso, estar preparado é sempre a melhor atitude!

O ideal é contratar uma pessoa habilitada e experiente; fornecer o treinamento necessário, para que ela possa entender a sua função, a cultura da sua empresa; e junto a isso, estar sempre buscando alternativas para melhorar processos e trabalhar a capacitação e motivação dos demais colaboradores.

Gerenciar com espelho na missão visão e valores da empresa, cada resultado atingido deve estar sustentado com os propósitos da empresa, por isso, o setor de RH precisa de profissionais competentes e treinados para que possam ajudar a empresa alcançar melhor eficácia em suas estratégias.

Trabalhar questões de clima organizacional é bastante importante e muitas vezes, é negligenciado pela gestão. 

É fundamental desenvolver um clima amistoso, ético e tranquilo. Onde as pessoas sintam-se valorizadas e contribuíam com mais qualidade à empresa.

Proporcionar maior motivação e engajamento nos colaboradores, este é o segredo!

Fazer as pessoas trabalharem mais e melhor sem que percebam ou sintam-se forçadas a isso.

Desenvolver um programa de desenvolvimento profissional é uma ótima estratégia, quando se tem a intenção de reter e capacitar uma equipe.

Às vezes, só é preciso de criatividade do que investimento financeiro, por exemplo, existem muitos treinamentos online, de baixo custo, que é possível à empresa adquirir e separar um momento onde vários colaboradores possam assistir e se qualificar.

Dar espaço para propor ideias e sugestões, é importante instigar a criatividade dos funcionários. Um ambiente que possui maior liberdade para propor ideias é também um ambiente aberto à inovação, que é algo indispensável nos dias de hoje.

Podemos concluir que gerenciar o setor de recursos humanos é um desafio constante, por isso é importante entender a rotina deste departamento e, mais, buscar alternativas inovadoras de gerenciamento para diminuir os custos, formando uma equipe qualificada e motivada para atrair o sucesso nos negócios.

Se você gostou compartilhe!

E se inscreva para receber nossas atualizações!

Elisangela Oliveira

Elisângela Oliveira tem formação superior em contabilidade, mas atua como blogueira e escritora. Se dedica a estudar muito sobre empreendedorismo, gestão e marketing digital e repassa seus conhecimentos pela internet desde 2014. Seus principais trabalhos estão nos sites Atitude e Negócios e Atine Empreenda.

Website: https://atitudeenegocios.com

2 Comentários

  1. Garcia Kivova

    Foi muito bom, ter lido esta linda mensagem para os recente neste departamento RH,

    Irei sempre dar uma olhada mesta pag.

    G.Kivova

    • Que bom que gostou, Garcia!
      Espero que estas dicas lhe ajude bastante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *